Coloque no seu Site

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Pastor Homosexual, não condena o Homosexualismo

O apresentador Jô Soares entrevistou o pastor gay Alexandre Zambom, criador da Igreja Inclusiva do Brasil, voltada para o público homossexual. À época do lançamento, Zambom tentou vincular sua imagem à pastora Lanna Holder, dizendo que sua denominação seria uma filial da igreja inclusiva Cidade de Refúgio, fundada por ela.
Zambom revelou a Jô Soares que foi criado em uma Assembleia de Deus e que aos 14 anos já pregava, mas que aos 16, após algumas experiências malsucedidas com namoradas, começou a revelar sua homossexualidade, e foi levado a participar de grupos de cura gay.
Segundo o pastor gay, após assumir-se homossexual, passou a estudar a teologia inclusiva, que se dedica a pesquisar as passagens bíblicas usadas para pregação contrária ao homossexualismo.
-Conheci algumas igrejas fora do Brasil que aceitavam homossexuais, e que inclusive, consagravam pastores, obreiros e ministros. [Isso] começou criar uma certa curiosidade [...] Fui procurar, fui a fundo, e acabei conhecendo a teologia inclusiva, que estuda com um conceito histórico e crítico da época, vendo porque que foi falado aquilo, porque estava escrito aquilo, e vim entender que não era aquilo que a igreja pregava – afirmou.
O apresentador Jô Soares afirmou que todas as igrejas tem problemas em relação à homossexualidade, e que não compreende porque excluir pessoas de sua fé por causa de suas opções sexuais. Zambom complementou o comentário de Jô dizendo que “Deus não faz acepção de pessoas”.
Alexandre Zambom afirmou ainda que enquanto se submeteu a campanhas de oração e cura de homossexualidade, haviam grupos de pessoas que eram consideradas “mais gays” ou “menos gays”. Intrigado, o apresentador Jô Soares questionou se haveria diferença “visual” entre os grupos. O pastor gay respondeu que alguns “chegavam com uma roupa mais apertada, trejeitos quando falavam, caminhavam. Então era assim que era feita a separação. O que era mais afeminado fica num canto, precisava de um tratamento mais fundo”, afirmou.
Segundo Zambom, na época em que assumiu sua homossexualidade, seu pastor sugeriu que permanecesse na “clandestinidade e fingisse ter uma namorada para que continuasse pregando”. O pastor gay disse ainda que quando tinha namoradas, usava como argumento a orientação da igreja de não praticar sexo antes do casamento para evitar contatos mais íntimos.

3 comentários:

  1. Cada uma...
    Não é um pastor, e sim um falso profeta, levando a cristãos acharem que podem ter uma outra opção sexual. Mas talvez ele não saiba o motivo da destruição de Sodoma e Gomorra, e talvez não saiba o que acontecerá na 2ª Vinda de Cristo.

    Orai e Vigiai!

    ResponderExcluir
  2. Tudo é uma questão de predisposição para a obediência à PALAVRA DE DEUS .
    Muitos não se regeneram (2Co. 5:17)e não querem se adaptar à Bíblia Sagrada, pelo contrário, querem adaptá-la a si, por pura conveniência, é claro!
    Deus tenha misericórdia de nós !

    ResponderExcluir
  3. isso é verdade,eles usam como argumento que Deus não faz acepção de pessoas como em sua palavra diz que é abominação aos olhos do senhor que u homem o uma mulher deite com pessoas do mesmo sexo Jesus está voltando e lanna holder que viveu uma farça pra ser consagrada e abrir um ministerio pra gays

    ResponderExcluir